Música de Tango

A musica do Tango Argentino resulta de uma fusão de vários estilos de música Africanos e Europeus, incluindo a polka, a habanera, a milonga, o flamenco, a mazurka, o kondobe, entre outros. Foi desenvolvido entre os finais do século XVIII e início do século XIXX.

O primeiro Tango alguma vez gravado foi composto por Angel Vilodo. Foi interpretado pela Guarda Nacional em Paris, já que na altura não existiam estúdios de gravação na Argentina.

No início o Tango era tocado por imigrantes chamados de Guardia vieja em Buenos Aires. Tocavam Tango com flauta, guitarra e violino; em finais do século XIXX o bandenon chega da Alemanha. Eduardo Arolas popularizou o bandenon. Juntamente com Vicente Greko, ele normalizou o sexteto de Tango, sendo este constituido por piano, baixo, dois bandoneons e dois violinos.

Graças ao cantor Carlos Gardel, por volta do ano 1920, o Tango migra dos suburbios para as cidades, e torna-se bastante popular entre a classe aristocrata. Ele iniciou a Época Dourada do Tango. Após a morte trágica de Carlos, Rudolfo Valentino, simbolo sexual latino, introduz o Tango à América do Norte ao dançar nos seus filmes.

Os músicos mais significativos foram Roberto Firpo e Francisco Canaro que tocavam flauta e baixo; Anibal Troilo e Carlos Di Sarli, foram chamados de evolucionistas enquanto que Rudolfo Biadji e Juan D'Arienzo foram chamados de tradicionalistas. D'Arienzo era conhecido como o `Rey del compas` (rei do ritmo).

Durante a Época Dourada e até depois, as orquestras de Osvaldo Pugliese e de Carlos Di Sarli, gravaram numerosas composições. O trabalho de Carlos Di Sarli caracterizava-se por um Tango melodico e virtuoso. Por outro lado, Osvaldo Pugliese introduziu um som rico, complexo e forte, como o som das composições Gallo ciego,Emancipacion, La yumba. A música de Osvaldo Pugliese é mais utilizada para Shows de Tango (Tango Fantasia), e pode ser ainda ouvida pela noite dentro em milongas (festas de Tango).

Numa época mais moderna chega Astor Piazzolla. Durante os anos 50 ele tenta criar uma forma mais popular de tango, conservando ainda assim a integridade dos seus predecessores. Nos anos 70 o tango combina-se com o jazz, o rock & roll, e música clássica. A chamada geração pós-Piazzolla (a partir dos anos oitenta), representada por Dino Saluzzi e Juan Maria Solare, apresenta o Nuevo Tango que é altamente influenciado pelo jazz e pela música clássica assim como estilos experimentalistas.

No entanto, isso não é o final da história. Nos últimos anos, novas ideias apareceram: o electro tango e tango fusion interpretados pelo Gotan project, uma banda Parisiense; a compilação bajofondo tango club; Carlos Libedinsky, Daniel Almada e Martin Iannaccone com o Ultratango, etc.

O Tango passa a fazer parte dos programas de grandes músicos clássicos tais como Yo-Yo Ma, Gidon Kremer, Placido Domingo, Marcelo Alvarez entre outros.




Ir a Artigos